Blog Wevo

Saiba como funciona um estoque compartilhado entre e-commerce e loja física

A principal função do estoque é regular as vendas e assegurar que os produtos ofertados serão entregues. Há diferentes modelos, dos quais se destaca o estoque compartilhado, quando a empresa atua tanto no meio físico quanto no meio digital.

Apesar da possibilidade de vender em mais de um canal, a gestão de vendas em ambos deve ser feita com mais atenção para não haver uma venda em duplicidade de um só item. No post de hoje vamos apresentar um pouco mais sobre o tema. Boa leitura!

O que é estoque compartilhado?

É quando a empresa utiliza o mesmo espaço para armazenar os produtos vendidos tanto na loja física quanto na loja virtual. Geralmente os itens, o segmento, os processos de controle, separação e preparo são semelhantes para os dois canais. Contudo, as estratégias podem ser diferentes, devido às características de cada veículo.

Como fazer a gestão do estoque compartilhado?

O principal motivo para o cancelamento de pedidos é o atraso na entrega das encomendas, o que, muitas vezes, está ligado à falta dos produtos em estoque. Por essa razão é indispensável manter o controle rigoroso do que entra e, principalmente, do que sai do estoque.

Veja as sugestões de como gerenciá-lo:

Faça a contabilização do inventário

O passo inicial é contabilizar a quantidade de cada produto em estoque, sempre identificando qual foi o canal de saída. Dessa forma é possível fazer previsões de compra e venda, localizar as quebras de estoque, descobrir qual canal vende mais, além de adotar medidas para aperfeiçoar o processo como um todo.

Entenda a demanda de cada canal

Quantos produtos são vendidos na loja física e quantos são vendidos na loja virtual? O controle vai ajudá-lo na sua estratégia como um todo. Os gestores conseguem entender quais produtos têm maior saída, quais podem ser retirados do portfólio, quando realizar saldões para renovar o estoque, entre outras ações.

Estabeleça um esquema para a destinação de itens

Agora que o negócio já sabe quanto e onde vende, será necessário definir uma quantidade ou percentual dos produtos que serão destinados a cada canal. Por exemplo, o empreendimento que atua no setor automobilístico recebeu do fornecedor 500 unidades de um farol. Na loja física há mais vendas desse produto do que na loja virtual, consequentemente serão destinadas mais unidades para o ponto físico.

Os gestores podem optar por não fazer essa separação, compartilhando os mesmos itens para ambos os canais. Trata-se de uma estratégia arriscada, principalmente para o e-commerce, pois não ter o item a pronta entrega pode gerar um desconforto maior do que perder a venda. As redes sociais e os sites de reclamação são muito utilizados pelos clientes frustrados, gerando uma má reputação para o negócio.

Adote práticas de separação e preparo

São práticas como o picking para separação de pedidos, preparação e montagem. O ideal é definir como o processo será feito, levando em conta a quantidade de itens solicitados pelo cliente e a embalagem adequada. Sem a correta separação os pedidos podem ser entregues fora do prazo, devido à demora para coleta ou mercadoria enviada de forma errada.

Ofereça a retirada na loja física

Essa é uma excelente alternativa, capaz de fidelizar clientes e aumentar o tíquete médio da compra. Basta o estabelecimento se preparar para a conveniência, estabelecendo um processo ágil e que facilite a retirada por parte do cliente.

Quais as vantagens do estoque compartilhado?

A principal delas é a economia de espaço, uma vez que não será necessário mais de um local para os dois canais de venda. A integração do gerenciamento também pode ser vista como um ponto positivo, que proporciona mais economia de recursos e tempo. Como mencionado, é preciso ter um sistema interno que funcione bem e que seja capaz de atender as duas demandas. No mais, boas vendas!

Você entendeu no artigo de hoje o que é, como funciona e como realizar a gestão do estoque compartilhado. Lembre-se de que é fundamental ter o correto controle dos itens da loja física e virtual, mas seguindo nossas dicas você não terá problema algum ao administrar esse tipo de estoque.

Gostou do que leu? Aproveite para descobrir também quais são os tipos de estoque para e-commerce. Boa leitura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros posts que podem te interessar

Confira os 6 melhores sistemas para gerenciamento de e-commerce

O gerenciamento de e-commerce é uma tarefa que exige mais ferramentas à medida que sua empresa se desenvolve. Com tantas tecnologias disponíveis, pode parecer difícil entender quais realmente são vitais para o seu negócio, não é? Para solucionar essa dúvida, listamos os 6 melhores sistemas para você gerenciar sua empresa e apontamos as marcas mais […]

Leia mais…

Confira 5 dicas de gestão de estoque para e-commerce

Investimentos, logística e principalmente, a credibilidade do negócio: esses são alguns dos fatores que fazem com que a gestão de estoque para e-commerce seja uma das atividades de maior importância para uma loja virtual. No fundo, é exatamente nesse setor onde tudo acontece. Ali, o produto adquirido é separado, embalado e enviado para o cliente, processo considerado por muitos como a principal […]

Leia mais…

Entenda por que investir em estratégias omnichannel para seu e-commerce

Alguns autores já consideram o omnichannel uma evolução do varejo. Pode-se dizer que realmente é, pois o conceito se aplica a negócios maduros o suficiente para utilizar estratégias inovadoras. Trata-se de um mercado cada vez mais exigente, com consumidores que se acostumaram a processos ágeis e que pesquisam muito antes de concluir a compra. Esse cenário exige uma […]

Leia mais…