Blog Wevo

Gerenciamento de APIs: como fazer e melhores práticas

De extrema importância para a melhoria de conversões em e-commerces, o gerenciamento de APIs tem sido cada vez mais empregado por gestores que buscam propiciar uma melhor experiência ao usuário e aumentar o sucesso de seus negócios.

Devido a isso, neste artigo, apresentaremos como fazer um gerenciamento de APIs efetivo e suas melhores práticas. Confira!

O que é gerenciamento de APIs?

Antes de tudo, é imprescindível entender que API é uma forma de comunicação que propicia não só a obtenção de informações advindas de um sistema externo, como, em contrapartida, o envio de conhecimento para outros aplicativos.

Dessa forma, sem que você precise ter conhecimento em relação a como um API funciona — quais são as regras aplicadas para que ele obtenha informações e de quais fontes ele se nutre , você pode utilizar o serviço ofertado para incrementar seu negócio e alcançar melhores resultados. Levando em consideração que o desenvolvedor desse API passe, evidentemente, credibilidade em relação aos benefícios que oferece.

Por outro lado, também é possível trabalhar no desenvolvimento interno de APIs, que agregam valor ao seu negócio e podem, inclusive, ser comercializados para otimizar o serviço de possíveis clientes. Para todos esses casos, a realização de um gerenciamento de APIs efetivo e que trabalhe com as boas práticas que vamos destacar mais à frente é fundamental para conquistar o sucesso.

No âmbito do e-commerce, por exemplo, um bom gerenciamento de APIs que, consequentemente, proveja uma melhor experiência ao usuário, gera melhorias significativas nos resultados. Podem ser empregados tanto APIs de gestão, que ajudem nos procedimentos logísticos de pagamento e aspectos, como também APIs que facilitam a navegação e auxiliam na escolha do cliente.

Qual é a importância dos APIs?

Levando-se em conta que, até pouco tempo atrás, a integração de sistemas era feita de formas precárias — seja por trocas de arquivo-texto, processos de gerenciamento de patches (que, em muitos casos, só rodavam à noite) e práticas do estilo —, os APIs são recursos que possibilitam uma evolução bastante significativa, sobretudo em ambientes de e-commerce.

Hoje em dia, a maioria das empresas que trabalham nesse nicho realiza as trocas de informações via APIs. Eles podem ser usados, por exemplo, para dinamizar o cálculo de fretes, automatizar procedimentos de pagamento, organizar melhor seu estoque, entre outras demandas que podem surgir.

Caso um de seus clientes tenha comprado um produto que deva ser entregue no Rio de Janeiro, por exemplo, você pode lançar mão de um API. Ele apresentará quais são as melhores opções de entrega para que você gaste menos e entregue o produto não só em boa qualidade, como em um curto período de tempo.

Se você tivesse que procurar por essas informações em mecanismos de busca da internet, essa ação demandaria muito mais tempo e a chance de uma boa opção passar desapercebida seria maior. Nessa mesma linha, há outros APIs que podem, de acordo com as características de acesso, sugerir a melhor maneira do seu e-commerce dispor os produtos para, consequentemente, aumentar a chance de conversão.

Em suma, a importância do API é que ele permite que você consuma serviços já empacotados e melhore a experiência do usuário ao navegar pelo site, seu front end, entre outros aspectos. No tópico a seguir, falaremos das melhores práticas que podem ajudá-lo a fazer um melhor gerenciamento de APIs. Acompanhe!

5 melhores práticas para o gerenciamento de APIs

Confira abaixo as 5 melhores práticas para otimizar o seu gerenciamento de APIs e alavancar os resultados de seu e-commerce:

Acompanhar os usuários

Para evitar que seus APIs fiquem lentos, é fundamental que você gerencie quem está consumindo e de que maneira isso está sendo feito. Assim, você pode controlar suas interfaces para que o desempenho não seja prejudicado por uso indevido de alguns clientes.

Não se ater a esse ponto pode prejudicar a utilização de clientes que, de fato, precisam de determinada resposta e estão utilizando as extensões de forma adequada.

Controlar seu cache

Dispositivo de acesso rápido que serve de intermediário entre um operador de um processo e o dispositivo de armazenamento, o cache é fundamental para prover um desempenho ideal de seu API.

Para tanto, você precisa monitorar as variações no tempo de resposta de seus APIs para, com base nessas informações, colocar validades adequadas e caches específicos para cada situação. Se seu API está passando uma informação que muda pouco, é possível deixar um tempo de cache maior. Se é uma resposta que muda mais rápido, o ideal é diminuir o tempo ou, até mesmo, não colocar dados em cache.

Controlar isso adequadamente auxilia bastante no que é apresentado ao usuário e de que maneira as informações de seu API atendem seus objetivos.

Monitorar as requisições recebidas

Uma outra boa prática a se manter é ter o controle de quantas requisições estão sendo feitas em seu API, monitorando em quantas respostas você está tendo sucesso ao passar as informações e em quantas está falhando.

Assim, acompanhar as requisições e saber quantas requisições seu API consegue receber e, consequentemente, responder (por minuto, segundo, etc) é de suma importância para garantir a estabilidade e a saúde do seu sistema.

Esse monitoramento abre portas, inclusive, para que você migre seu sistema de cobranças de acordo com o número de requisições. Quantas vezes um cliente acionou o API dentro de determinado mês pode ser a forma utilizada para a cobrança de uso do serviço.

Aperfeiçoar continuamente

Uma outra boa prática diz respeito à possibilidade de realizar aperfeiçoamentos constantes em seus APIs sem, necessariamente, mudar o endereço acionado por seu cliente. Assim, o usuário pode continuar acionando a mesma URL enquanto o resultado final do endereço vai sendo modificado.

Tendo o conhecimento dessa possibilidade, você pode trabalhar em alterações sem ter a necessidade de informar novos endereços ao cliente. Os APIs podem funcionar de maneira ininterrupta e com alta disponibilidade.

Diversificar os servidores

Por último, uma boa prática é diversificar os servidores com os quais você trabalha para balancear as informações recebidas pelos servidores e manter um bom desempenho. Assim, caso um servidor esteja recebendo muitas chamadas em relação aos outros, é possível direcionar a chamada para outros servidores de modo a garantir um tempo de resposta baixo.

Se o número de requisições aumenta, isso pode se diluir em servidores diferentes. Por outro lado, se você tiver menos chamadas, o número de servidores que você precisa ter para responder o cliente é menor.

Por conta de todas essas práticas, com o bom gerenciamento de APIs, você pode garantir uma maior segurança para validar informações, ter um melhor controle sobre suas interfaces e evitar ataques de hackers ou práticas similares.

Além disso, pode-se integrar sistemas de frete, CRMs, estoques, mercadorias, ferramentas de BI, entre outros recursos que ajudam a aumentar as chances de sucesso de seu e-commerce. Os APIs cumprem importante papel para um melhor planejamento estratégico a partir dos dados obtidos — sejam de comparativos de produto, concorrentes, reviews, etc.

Conseguiu entender como fazer o gerenciamento de APIs e quais são as melhores práticas? Entre em contato conosco para que possamos auxiliá-los a desenvolver ainda mais o seu e-commerce!

Outros posts que podem te interessar

CRM para e-commerce: entenda a importância dessa estratégia!

Para um empreendimento obter sucesso, é fundamental conhecer muito bem o cliente, pois, somente é possível conquistar um consumidor sabendo o que ele deseja e mostrando como ele é importante para a empresa. Para isso, nada melhor do que um bom CRM para e-commerce. De acordo com uma pesquisa da Bain & Co., o aumento […]

Leia mais…

Entenda o que é marketplace e como funciona!

Se você trabalha em um e-commerce ou com vendas online, com certeza já ouviu falar dos marketplaces! A idéia, que se popularizou com a Amazon dos EUA, chegou ao Brasil em 2012 e tem ganhado cada vez mais espaço no mercado do país. Mesmo assim, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre o que é marketplace e como […]

Leia mais…

Como identificar uma boa plataforma de e-commerce?

Criar um e-commerce não é uma tarefa fácil, são várias decisões importantes para tomar, e escolher uma boa plataforma de e-commerce é uma delas! Afinal, com tantas opções disponíveis no mercado, acabam surgindo muitas dúvidas. Mas fique calmo — essa dúvida é mais comum do que você imagina! Pensando nisso, no post de hoje, listamos 5 […]

Leia mais…